Prefeitura de São Paulo vai financiar shows, peças e outras apresentações em janelas da cidade

Compartilhar :  

Postado em: 20 / 03 / 2020 [11:04 am]

A gestão Bruno Covas (PSDB) vai lançar um programa para financiar apresentações de artistas em suas janelas em São Paulo. As performances também deverão ser gravadas ou transmitidas para gerar conteúdo on-line.
 
O projeto, chamado Janelas de São Paulo, foi inspirado nas cantorias que os italianos têm feito em suas sacadas durante a pandemia do novo coronavírus, e terá como objetivo fomentar a produção cultural em um momento em que todos shows, peças e exposições têm sido cancelados para evitar aglomerações e combater a ampliação da crise.
 
?O projeto foi encomendado pelo prefeito e pensado pelo atual secretário de Cultura, Alê Youssef, e por seu futuro substituto, Hugo Possolo. Youssef deixará o cargo até o final do mês para buscar o cargo de vice na campanha para reeleição de Covas.
 
Aproximadamente 8.000 artistas de diferentes áreas, como teatro, música, dança e leitura de poesia, poderão se candidatar a partir dos chamamentos públicos, que serão publicados na semana que vem. A prefeitura destinará R$ 10 milhões para o projeto.
 
A ideia é que as apresentações sejam transmitidas on-line em plataforma a ser apresentada pela prefeitura.
 
"Vai ser inspirador para a cidade em um momento tão grave. Vai ajudar a enfrentarmos o Covid-19 também com beleza e poesia. E, ao mesmo tempo, servirá de amparo para a classe artística tão afetada neste momento, junto com outras ações do programa Cultura Presente", diz Youssef.
 
O projeto faz parte de um pacote de incentivos para o setor cultural chamado Cultura Presente que está sendo elaborado pela administração municipal e que mobilizará aproximadamente R$ 100 milhões.
 
Prefeitos pedem a Bolsonaro que fronteiras aéreas com a Europa sejam fechadas
Os artistas que tiveram apresentações canceladas recentemente devido à crise do coronavírus terão seus contratos estendidos. Dessa forma, assim que a situação se normalizar, eles se apresentarão como havia sido programado inicialmente, com a segurança de que receberão o mesmo valor.
 
Os editais de programas de fomento também serão antecipados, e outras linhas de fomento serão lançadas. O programa das culturas das periferias, por exemplo, será adiantado de julho para maio. Com isso, a liberação de recursos sairá antes, possibilitando o início de fases de pré-produção de projetos durante o período de crise.
 
Por fim, o Pro-MAC, programa municipal de renúncia fiscal conhecido como "Lei Rouanet de São Paulo", terá o prazo de inscrição prorrogado em um mês, até o final de maio.
 
Fonte: G1