Artistas criticam postura de Regina Duarte e cobram providências contra a crise no setor

Compartilhar :  

Postado em: 08 / 05 / 2020 [09:30 am]

 
Artistas criticaram Regina Duarte, secretária especial da Cultura no governo de Jair Bolsonaro (sem partido), logo depois de sua entrevista à CNN Brasil, realizada em seu gabinete, em Brasília, na tarde de hoje.
 
Na conversa, por exemplo, Regina cantarolou a música "Pra frente Brasil", criada para inspirar a seleção na Copa do Mundo de 1970, mas também muito associada ao período da ditadura militar.
 
"Não era bom quando a gente cantava isso?", perguntou ela, sorridente. Constrangido, o jornalista Daniel Adjuto tentou justificar: "É que foi um período muito difícil, tem muita história, muita gente morreu na ditadura. É essa a questão".
 
Em seguida, Regina minimiza o período. "Cara, desculpa, eu vou falar uma coisa. Assim, na humanidade não para de morrer. Se você fala em vida, do outro lado tem morte. E as pessoas ficam 'ó, ó, ó'. Por quê?", argumentou. "É porque houve tortura, secretária", interrompeu Adjuto.
 
"Bom, mas sempre houve tortura. Meu Deus do céu, Stalin, quantas mortes? Hitler, quantas mortes? Não quero arrastar um cemitério de mortos nas minhas costas. Não desejo isso para ninguém. Sou leve, estou viva, estamos vivos, vamos ficar vivos", concluiu Regina.
 
Nas redes sociais, artistas como Bruno Gagliasso, José de Abreu e o youtuber Felipe Neto, entre outros, criticaram a postura de Regina Duarte.
 
Atrito com Maitê Proença
A secretária especial da Cultura, Regina Duarte, se irritou com mensagem gravada pela atriz Maitê Proença e divulgada durante entrevista concedida ao canal CNN Brasil. 
 
"Baixo nível isso! Vão colocar fala dela?", questionou Regina, irritada. "Vocês estão desenterrando esse vídeo para quê? O que vocês ganham com isso?".
 
No vídeo que desencadeou a fúria de Regina Duarte, Maitê Proença faz críticas a atual gestão da secretaria da Cultura e ao governo Bolsonaro, que, segundo ela, "não fala com a classe". "A Cultura está perplexa com a falta de informação com o que tem sido feito: o proposto daquilo que foi prometido: o proposto. É inexplicável o silêncio sobre uma política para o setor. Nós estamos sobrevivendo de vaquinhas. Nesse túnel comprido, e sem futuro a vista para arte, que afinal, se faz juntando gente. Mas, afinal, até quando isso vai se sustentar. São muitos poucos os que têm reservas financeiras para milhares [de artistas] que estão à míngua. Enquanto isso, morrem os nossos gigantes: Rubens, Aldir... Nenhuma palavra de nosso presidente, de nossa secretária. Regina, eu apoiei desde o início o seu direito a posição que divergia da maioria. Regina, fala com a gente", diz Maitê no vídeo.
 
Em seguida, Regina reclamou. "Muito obrigada. Muito obrigada. Foi preciso eu dar um chilique. Me desculpem os telespectadores. Para quê? Quem é você [Daniela Lima]?".
 
Em março, Regina Duarte enfim disse "sim" a Jair Bolsonaro e aceitou convite para chefiar a secretaria especial de Cultura, pasta subordinada ao Ministério do Turismo. Ontem, ela completou 60 dias à frente da secretaria.
 
Desde que aceitou o convite, alguns colegas de profissão têm atacado a indicação de Regina, como é o caso do ator José de Abreu, que disse que se ela assumisse o cargo teria que arcar com as consequências.
 
CNN lamenta episódio 
Em nota, o canal de notícias lamentou o episódio e disse que a secretária entendeu que o vídeo de Maitê Proença era antigo.
 
A CNN Brasil esclarece que a secretária da Cultura interrompeu a entrevista exclusiva no final da tarde de hoje, no programa CNN 360º. A interrupção ocorreu quando foi exibido um depoimento da atriz Maitê Proença, solicitado pela emissora no início da tarde de hoje, para debater as questões do setor cultural no Brasil. A secretária entendeu que o vídeo de Maitê se tratava de uma gravação antiga e decidiu então encerrar a sua participação. A CNN lamenta o episódio e reafirma o seu compromisso de sempre ouvir todos os lados.".
 
Maitê: "É hora de dar alguma satisfação"
A atriz Maitê Proença explicou hoje, em live no Instagram, que queria apenas pedir a Regina Duarte para que ouça a classe artística.
 
"É um pedido para que ela converse com a classe dela, é só isso", justificou Maitê, explicando que topou gravar o vídeo a pedido da emissora. "É o que ela devia ter feito. Ela não entrou ontem [no governo], está há dois meses. É hora de ter um plano, de conversar, de falar que está tentando e dar alguma satisfação".
 
Para Maitê, o presidente não admira a Cultura e fica falando que as artes roubam dinheiro com a Lei Rouanet. Ela ainda lembrou quando defendeu a colega de profissão, em janeiro, na vez em que disse que "seria a melhor escolha para o comando da pasta".
 
"E achei realmente que, como gosto dela e a defendi, para toda a classe, meti minha mão no fogo [na época]. A ponto das pessoas imaginarem que meu voto tinha ido para o mesmo lugar [para Bolsonaro], mas ainda assim ela não quis ouvir", lamentou Maitê na live, afirmando ainda que Regina não ouviu direito seu recado e presumiu que fosse algo antigo.
 
Fonte: Uol