Roberto Carlos anuncia projeto de gravar disco em italiano na sequência de edição de álbum em espanhol

Compartilhar :  

Postado em: 27 / 08 / 2018 [01:08 am]

 
 
Já faz 15 anos que Roberto Carlos lançou o último álbum de músicas inéditas compostas em português. O público brasileiro do cantor anseia pelo sucessor de Pra sempre (2003). Até porque Roberto vem prometendo há anos esse disco de inéditas para o Brasil.
 
Contudo, pelo visto e ouvido, os fiéis fãs do Rei terão que ter mais paciência. Roberto Carlos ainda nem apresentou o álbum em espanhol que gravou no Brasil – Amor sin límite, programado para ser lançado no mercado fonográfico de língua hispânica em 28 de setembro – e já tem planos de gravar outro disco em língua estrangeira.
 
No show que fez na cidade de São Paulo (SP) na última sexta-feira, 24 de agosto, o cantor anunciou o projeto de fazer um disco em italiano. Se for concretizado, esse álbum com canções italianas – e com versões em italiano de canções de Roberto – representará a tentativa de reconquista de um mercado ao qual o cantor dava especial atenção nos anos 1960 e 1970.
 
A discografia de Roberto Carlos contabiliza 65 gravações em italiano, dispersas em álbuns, coletâneas e projeto coletivos. Cabe lembrar que, há 50 anos, Roberto foi o grande vencedor do Festival de San Remo ao defender a composição Canzone per te (Sergio Endrigo e Sergio Bardotti, 1968).
 
Começou ali, em 1968, a conexão do artista com mercado italiano – ligação que fez o cantor voltar quatro anos depois, em 1972, ao mesmo festival para dar voz à canção italiana Un gatto nel blu (Totò Savio e Giancarlo Bigazzi, 1972).
 
Ao longo da década de 1970, Roberto lançou na Itália versões em italiano de canções que lançara em álbuns gravados e editados no Brasil. Tanto que, em 2010, foi lançada a coletânea I miei successi com a reunião de algumas dessas gravações em italiano.
 
Em 2012, o cantor lançou no Brasil um registro ao vivo de show com roteiro poliglota, Roberto Carlos em Jerusalém, no qual cantou em italiano a canção Caruso (Lucio Dalla, 1986), a Ave Maria (Franz Schubert, 1825) e trecho de Detalhes (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1971).
 
Fonte: G1