Morrem as atrizes Gabi Costa e Sônia Guedes

Compartilhar :  

Postado em: 04 / 06 / 2019 [01:31 am]

 
 
A atriz carioca Gabi Costa, de 33 anos, morreu na noite deste domingo (2) por conta de problemas cardiorrespiratórios, segundo a assessoria de imprensa da atriz. O óbito foi confirmado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da cidade do Rio de Janeiro.
 
Já a atriz Sônia Guedes, de 86 anos, morreu na noite de segunda-feira (3), em São Paulo. Segundo a assessoria de imprensa do SBT, a causa da morte foi câncer. O velório ocorria no Cemitério do Araçá na manhã desta terça (4).
 
Gabi Costa foi internada no Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, Zona Oeste da capital fluminense, no começo da tarde, após ser encontrada desacordada dentro de casa.
 
Segundo sua assessoria de imprensa, assim que chegou na unidade hospitalar, ela sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu.
 
De acordo com a assessoria da SMS, a morte cerebral da atriz foi confirmada ainda na noite de domingo e a família dela autorizou a doação de órgãos. O Programa Estadual de Transplantes já foi acionado.
 
Em seu último trabalho, a atriz fez duas aparições na novela "Órfãos da terra", exibida pela TV Globo. Na trama, Gabi interpretava a síria Nazira, mulher do médico Faruq (Eduardo Mossri).
 
Sônia Oliveira Guedes nasceu em Santo André, no ABC paulista, em 22 de novembro de 1932. Em 1967, se formou em Artes Cênicas na Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo (USP). Sônia também tinha formação em canto e piano.
 
Iniciou seu trabalho como atriz aos 14 anos, no teatro amador e de rua. Seu primeiro trabalho para a TV foi em “Vila Sésamo”, em 1972. Sônia também aturou em “Malu Mulher” (1979), “Barriga de Aluguel” (1990), “Luz do Sol” (2007), entre outras novelas da Globo. Seu trabalho mais recente foi na novela “Chiquititas” (2014), para o SBT.
 
Sônia também tem história no cinema. Sua estreia nas telonas foi no filme “Noite em chamas” (1978), inspirado no longa americano “Inferno na Torre”. Seu último projeto para as telonas foi em “O amor no divã” (2016).
 
A atriz recebeu diversos prêmios ao longo de sua carreira. O mais recente deles celebrou no Festival de Cinema Luso-brasileiro, em 2011, quando levou o troféu de Melhor Atriz por seu trabalho em “Histórias que Só Existem Quando Lembradas”.
 
Em 2009, foi retratada pela dramaturga Adélia Nicolete como uma pessoa de "delicadeza ímpar", "feita de pura poesia" no livro “Sônia Guedes: Chá das Cinco”, que integra a Coleção Aplauso Perfil (Editora Imprensa Oficial).
 
Fonte: G1