Hugo Possolo substituirá Alê Youssef na Secretaria de Cultura de SP

Compartilhar :  

Postado em: 11 / 03 / 2020 [01:21 am]

Hugo Possolo, diretor artístico do Theatro Municipal, foi nomeado secretário municipal de Cultura de São Paulo. Ele assume o cargo atualmente ocupado por Alexandre Youssef a partir do dia 20 de março. A nomeação foi publicada no Diário Oficial nesta quarta-feira (11).
 
Possolo é dramaturgo, produtor, ator, diretor e palhaço. É também um dos fundadores do Parlapatões, grupo paulista de comédia, circo e teatro, que funciona na Praça Roosevelt.
 
A assessoria da Secretaria de Cultura informou que a saída de Youssef se deve ao convite que o secretário recebeu para se filiar ao partido Cidadania e integrar uma "possível chapa" com o prefeito Bruno Covas (PSDB) na disputa de outubro, onde o prefeito deve concorrer à reeleição.
 
Nas redes sociais, Alexandre Youssef confirmou a saída da pasta e a substituição por Hugo Possolo como novo titular, publicando uma foto ao lado do novo secretário e do prefeito.
 
Na publicação, Youssef não fez menção às pretensões políticas, declarando apenas que vai trabalhar para criar um movimento nacional chamado “Bloco da Cultura”.
 
“Independente das novas oportunidades que possam surgir para mim no futuro, passo a me dedicar à criação do Bloco da Cultura, um novo movimento político nacional em defesa da centralidade da cultura no eixo de desenvolvimento econômico e social do país. (...) Estou certo que conseguimos aproveitar a enorme vitalidade cultural da cidade de São Paulo para furar bolhas, construir pontes, abrir o diálogo, buscar inclusão, celebrar a diversidade, ocupar de forma ampla e democrática a cidade culturalmente e criar o contraponto necessário em defesa da cultura no Brasil, a partir da maior cidade do país”, declarou Youssef.
 
A Secretaria de Cultura informou também que o substituto de Possolo na direção artístico do Theatro Municipal deve ser definida apenas no dia 23 de março, após a posse do novo secretário.
 
Além das mudanças na Secretaria de Cultura, nove subprefeitos foram exonerados nesta quarta-feira (11) pelo prefeito Bruno Covas.
 
Histórico
Mestre em filosofia política, advogado e fundador do bloco Acadêmicos do Baixo Augusta, Alexandre Youssef foi indicado ao cargo em janeiro de 2019, após mudanças promovidas por Bruno Covas na gestão municipal.
 
Quando assumiu, Youssef prometeu ser interlocutor com blocos do carnaval de rua, além de rever o calendário cultural da cidade e promover parcerias com o setor privado.
 
Durante a organização da festa este ano, o secretário chegou a ser alvo de críticas dos organizadores dos blocos. Ao final da folia, avaliou positivamente o resultado e defendeu que problemas como violência e assaltos foram decorrentes de questões maiores da sociedade.
 
Nota do secretário Alexandre Youssef:
 
"Despeço-me do cargo de Secretário de Cultura no próximo dia 20 de março. É uma decisão coletiva, alinhada com o Prefeito Bruno Covas e toda a equipe que chegou comigo à secretaria. A nomeação de Hugo Possolo como novo Secretario, é a confirmação da continuidade das políticas do nosso programa São Paulo Capital da Cultura. Hugo foi meu grande parceiro desde o início desta jornada e contará com todo meu apoio e de toda nossa equipe. Independente das novas oportunidades que possam surgir para mim no futuro, passo a me dedicar à criação do Bloco da Cultura, um novo movimento político nacional em defesa da centralidade da cultura no eixo de desenvolvimento econômico e social do país. Agradeço a confiança do Prefeito Bruno Covas e a oportunidade de trabalhar pela minha cidade, que amo. A decisão de valorizar a cultura desta maneira tão contundente, neste momento emblemático, em que o nosso setor está sob ataque no Brasil, certamente é um das marcas da sua gestão. Saúdo também todo o funcionalismo da Secretaria Municipal de Cultura e meus colegas secretários e secretárias municipais. Estou certo que conseguimos aproveitar a enorme vitalidade cultural da cidade de São Paulo para furar bolhas, construir pontes, abrir o diálogo, buscar inclusão, celebrar a diversidade, ocupar de forma ampla e democrática a cidade culturalmente e criar o contraponto necessário em defesa da cultura no Brasil, a partir da maior cidade do país. Reitero minha gratidão à minha competente e aguerrida equipe e à toda classe artística da cidade e do Brasil que, em sua ampla maioria, respaldou meu trabalho. Tenho certeza que a sinergia com Secretaria da Cultura permanecerá total. Foi uma imensa emoção servir aos cidadãos e cidadãs da minha cidade, na "cadeira" de que um dia já foi de Mário de Andrade e nela lutar por uma São Paulo muito mais modernista do que bandeirante. Sigo acreditando na resistência proativa em defesa da cultura, em fazer coisas boas, bonitas e fortes. Sigo acreditando no caminho do centro democrático, longe das radicalizações polarizadas. Sigo em defesa da arte, da liberdade e da democracia".
 
Fonte: G1