Harvey Weinstein se entrega à polícia de Nova York

Compartilhar :  

Postado em: 25 / 05 / 2018 [01:27 am]

 
Harvey Weinstein se entregou à polícia de Nova York na manhã desta sexta-feira (25). O produtor de filmes como "Shakespeare apaixonado" (1998) foi acusado por ao menos 75 mulheres de crimes sexuais.
 
O magnata de Hollywood chegou por volta das 7h25 (8h25 em Brasília) vestindo um casaco escuro por cima de suéter azul, além de uma camisa branca e calça jeans, de acordo com a agência Reuters.
 
Ele carregava três livros, incluindo o que parecia ser a biografia de Elia Kazan, diretor de filmes como “Sindicato de ladrões” (1954) e “Uma rua chamada pecado” (1951).
 
Algemado e escoltado por policiais, o produtor foi levado a um tribunal de Manhattan. Três helicópteros acompanharam a movimentação.
 
Weinstein, de 66 anos, responde por duas acusações de estupro e uma acusação de ato sexual criminoso contra duas mulheres, disseram os promotores. As vítimas não foram identificadas.
 
O advogado do produtor, Benjamin Brafman, disse que ele pretende se declarar inocente.
 
Ainda segundo a Reuters, o juiz Kevin McGrath propôs um acordo de fiança de US$ 1 milhão. Weinstein entregou seu passaporte e concordou em usar um dispositivo de monitoramento que rastreia sua localização.
 
De acordo com a emissora de TV NBC, a polícia de Nova York tem pedido a prisão de Weinstein há meses, alegando que já possui provas suficientes para acusá-lo formalmente pelo assédio sexual das atrizes Paz de la Huerta e Lucia Evans.
 
A Promotoria de Manhattan, no entanto, não havia aceitado o pedido, alegando que gostaria de apresentar uma acusação que não levantasse nenhuma dúvida sobre os crimes de Weinstein.
 
No sábado (19), a atriz Asia Argento, uma das mulheres que afirma ter sido estuprada pelo produtor, disse que Weinstein "nunca mais" será bem-vindo no Festival de Cannes. Segundo ela, ele cometeu o crime durante o evento em 1997.
 
Asia ainda denunciou os que encobriram o americano e o comportamento indigno da indústria do cinema.
 
Escândalo em Hollywood
O escândalo envolvendo o nome de Weinstein abala Hollywood desde que várias mulheres passaram a tornar públicos casos de assédio e violência sexual envolvendo nomes poderosos do cinema.
 
As primeiras acusações contra o produtor surgiram em uma reportagem de 5 de outubro, publicada pelo "The New York Times", sobre casos de abuso contra atrizes e outras mulheres.
 
Desde então, apareceram novos relatos de assédio, incluindo os feitos pelas atrizes Mira Sorvino, Rosana Arquette, Gwyneth Paltrow, Angelina Jolie e Léa Seydoux.
 
O movimento deu origem à campanha Me Too, dedicada a combater crimes sexuais.
 
Além da polícia de Nova York, autoridades de Los Angeles e Londres abriram investigações contra Weinstein. Ele sempre alegou que as relações sexuais foram consentidas.
 
Após a série de acusações, o produtor se internou em um em centro de reabilitação para viciados em sexo, foi demitido de seu estúdio cinematográfico, Weinstein Company, e expulso da Academia de cinema dos Estados Unidos, que organiza o Oscar.
 
Fonte: G1