Corpo de Antunes Filho é velado em São Paulo

Compartilhar :  

Postado em: 03 / 05 / 2019 [01:43 am]

Corpo de Antunes Filho é velado em São Paulo
 
O corpo de Antunes Filho começou a ser velado na manhã desta sexta-feira (3) no Teatro Sesc Anchieta, no Sesc Consolação, região central de São Paulo. O diretor de teatro morreu na noite desta quinta-feira (2) aos 89 anos e deixa um filho, quatro netos e dois bisnetos.
 
Filho foi internado no Hospital Sírio-Libanês no último dia 22, após sentir um mal-estar. Depois de passar por exames, o diretor descobriu estar com câncer de pulmão em estágio avançado.
 
O corpo do diretor chegou às 7h ao teatro e está sendo velado com o caixão fechado. Cerca de 20 familiares e amigos acompanhavam o velório antes da abertura para o público geral, que se iniciou às 8h15. O velório ocorre até 15h, quando o corpo segue para o crematório da Vila Alpina, Zona Leste de São Paulo, onde será cremado em cerimônia fechada.
 
Referência do teatro brasileiro
José Alves Antunes Filho era considerado pela crítica especializada um dos principais nomes do teatro brasileiro. Artistas como Sônia Braga, Paulo Betti, Stênio Garcia, Zé Celso Martinez e Matheus Nachtergaele comentaram a morte dele.
 
Integrante do Teatro Brasileiro de Comédia e fundador do Centro de Pesquisa Teatral (CPT), ele se consagrou e ganhou prestígio como diretor com a montagem de obras de grandes nomes do teatro e da literatura e pelo seu trabalho na formação de atores. (leia mais abaixo)
 
Antunes Filho trabalhou até os últimos dias de vida. A montagem mais recente dele no teatro foi a peça “Eu Estava em Minha Casa e Esperava que a Chuva Chegasse”, texto do francês Jean-Luc Lagarce que estreou no teatro do Sesc Consolação em setembro do ano passado.
 
Veja o que marcou a carreira do diretor
  • Ganhou destaque e prestígio como diretor teatral ao montar "Macunaíma", baseado na obra de Mário de Andrade, em 1978
  • Criou o Centro de Pesquisa Teatral (CPT), escola de formação e grupo teatral por onde passaram importantes nomes do teatro nacional
  • Integrou o Teatro Brasileiro de Comédia entre os anos 50 e 60
  • Fundou a companhia Pequeno Teatro de Comédia na década de 1950
  • Produziu e dirigiu o filme "Compasso de espera", em 1973, sobre o racismo
  • Montou obras de Nelson Rodrigues e William Shakespeare
 
Fonte: G1