Andrea Beltrão fala sobre interpretar Hebe Camargo: 'Foi um desespero, não foi nada fácil'

Compartilhar :  

Postado em: 30 / 07 / 2020 [08:38 am]

Andrea Beltrão encarou o desafio duplo de interpretar Hebe Camargo na série "Hebe" e no filme "Hebe: A Estrela do Brasil". A atriz fala com muito carinho sobre o papel e sobre a apresentadora, mas entrega a insegurança.
 
"Foi um desespero, não foi nada fácil. É uma pessoa muito famosa, talvez a maior apresentadora do Brasil, uma comunicadora imensa", diz Andrea em entrevista por videoconferência com jornalistas. A série com 10 capítulos estreia nesta quinta (30) na Globo.
 
Além da magnitude da apresentadora, coisas técnicas como fazer o sotaque paulista da Hebe e gesticular durante a fala foram pontos de dificuldade que a atriz carioca encontrou.
 
Ela diz que a ajuda de Marco Ricca, que interpreta Lélio, marido de Hebe, foi importante no sotaque: "Ele me deu uma retaguarda, me deu muita segurança na composição de uma paulista como ela era".
 
Para Valentina Herszage, que interpreta Hebe na juventude, além do sotaque, a risada da Hebe foi um desafio.
 
"Para mim, a gargalhada era impossível. Eu achava que os jovens não riam pra fora, só adulto ri desse jeito", lembra a atriz.
 
"Uma das coisas mais desafiadoras e animadoras é fazer uma personagem com tanto texto, com tanta fala e tudo tão bem escrito", continua.
 
"Eu e Andrea líamos poemas juntas para gente tentar se escutar e trazer um pouco da musicalidade [dela]".
 
Uma mulher do diálogo
Hebe Camargo foi uma figura da televisão brasileira cheia de personalidade. Era mulher, artista e tentava ser independente quando a sociedade não era tão aberta a esse tipo de postura nas décadas passadas.
 
Ela foi criticada várias vezes por posições políticas e declarações a jornais e revistas, mas tanto Andrea quanto Valentina destacam sua coragem.
 
"Eu me apaixonei muito radicalmente por ela. Pela coragem de ser quem era ela, com todos os limites, com as dificuldades, com as inseguranças, falando muitas besteiras, errando muito, mas também não tendo vergonha de errar", diz Andrea.
 
"Uma mulher que teve uma infância dificílima, muito, muito pobre, que foi arrego de família durante muitos anos. Uma mulher que quis se casar, fez um aborto, sofreu, foi abandonada pelo cara que ela gostava, sempre foi super assediada, era tratada muitas vezes como uma mulher qualquer, uma mulher fácil", enumera a atriz.
 
O jeito de se impor que já aparece na juventude de Hebe e fez com que Valentina refletisse sobre a sua própria vida:
 
"Ela tinha uma personalidade tão única e uma força de defender o que ela acredita que me emocionava muito", diz.
 
"Até pensei: 'Nossa, talvez isso seja algo que eu tenha que trilhar na minha vida. Conseguir me colocar sem pedir essa permissão para existir, simplesmente existindo", completa.
 
Para Maurício Farias, diretor artístico da série, falar sobre Hebe Camargo é falar sobre o diálogo.
 
"Ela era uma pessoa agregadora, e tinha, de fato, uma coisa interessante que era: 'quero ter diálogo, quero usar o diálogo para aprender, para discutir, para evoluir, para servir de reflexão sobre o que eu falo e sobre o que os outros falam'", afirma o diretor.
 
Como criar uma Hebe verossímil
A busca da direção e das atrizes foi sempre criar uma representação da Hebe Camargo, uma versão deles da apresentadora, sempre fugindo de uma imitação caricata.
 
"O personagem real é inimitável, então é melhor você se desprender dele. Isso libertou um pouco todos nós", diz Farias. "Seria uma perseguição injusta e impossível".
 
"A escolha das atrizes não passou pela semelhança física nem com a Hebe, nem entre nós duas. Isso também trouxe uma liberdade imensa de construção dessa Hebe", destaca Andrea.
 
Marco Ricca que acompanhou o processo de Andrea de perto também falou sobre a imersão no universo da apresentadora:
 
"A gente tinha uma imagem da Hebe, sempre com muita alegria, ela terminava [o programa] pra cima, e, de repente, a gente consegue enxergar uma vida muito dura, sofrida, carregou coisas nas costas".
 
"Eu ouvia o Mauricio conversando com a Andreia onde estava esse limite. Ela sempre vinha com uma delicadeza em uma tentativa de não ultrapassar o limite, para não ficar pesado, ao mesmo tempo não ficar leviano para com a dor do personagem", lembra o ator.
 
Danton Mello, Gabriel Braga Nunes, Ângelo Antônio e Flavio Migliaccio também estão no elenco da série.
 
Andrea, inclusive, fez uma homenagem à Migliaccio, que interpretou o pai de Hebe na versão mais velha, e morreu em maio:
 
"Quero dedicar também todo esse trabalho ao Flavio Migliaccio, que foi muitas vezes meu parceiro de trabalho, foi meu pai muitas vezes. Tive a honra, alegria, felicidade enorme de trabalhar com ele", afirmou a atriz.
 
"Eu só queria dizer da saudade enorme que todos nós estamos sentindo dele. Uma pessoa que vai fazer muita falta pra gente, mas que deixou uma vida de trabalhos assinados da maneira que só ele sabia fazer".
 
Fonte: G1